top of page

Trólebus Brasileiro

> Os Sistemas Brasileiros

> METRÔ SP / EMTU SP

> Especificações Trólebus Cobrasma/Powertronics

PLATAFORMA: fabricada pela Cobrasma, equipada com suspensão do tipo combinada, constituída por feixes de molas e bolsas de ar.

1 - Dimensões básicas (mm):

- distância entre-eixos: 6.000

2 - Diferencial: de fabricação Braseixos.

- relações de redução:

    - diferencial conjunto: 3,42:1

    - redutor planetário: 3,53:1

    - total: 12,06:1

3 - Sistema de direção: de fabricação ZF, do tipo hidráulica de esferas recirculantes.

- no de voltas (batente à batente): 5,7

4 - Suspensão: do tipo combinada (feixe de molas + bolsas de ar).

5 - Cargas admissíveis por eixo (N):

- eixo dianteiro: 6.000

- eixo traseiro: 12.000

- total: 18.000

6 - Sistema de freios: pneumático, com 2 circuitos independentes (1 dianteiro e 1 traseiro).

- freio de estacionamento: atuação por molas, integradas aos cilindros de freio traseiros.

- tanques de ar: separados para cada circuito, com dreno manual.

- ajustador automático de freio.

203.jpg

Desenho esquemático da plataforma com seus componentes - trólebus Cobrasma/Powertronics.

(Fonte:  “Manual  de  Manutenção  -  Trólebus  Simples  –  Veículo”,  publicado  pela  Cobrasma S/A,   para a   Companhia   do   Metropolitano   de   São  Paulo).

CARROCERIA: fabricada pela Cobrasma, com estrutura do tipo monobloco, em perfis de aço inoxidável. Chapas finas de aço são dobradas e transformadas em elementos tridimensionais, assegurando a rigidez do conjunto. A carroceria obedece às resoluções do CONMETRO - PADRON TIPO II. (Especificações referentes ao veículo encarroçado e com sistema de propulsão instalado).

1 - Dimensões básicas (mm):

- comprimento total: 12.100

- largura: 2.600

- altura (sem incluir coletor de corrente): 3.307

- distância entre-eixos: 6.000

- balanço dianteiro: 2.715

- altura do 1o degrau: 370

- altura entre degraus: 240

- profundidade dos degraus: 300

- altura máxima do piso em toda a sua extensão: 850

- altura interna mínima em áreas de circulação: 2.000

- vão livre das portas: 1.096

- raio de giro externo máximo: 12.000

- raio de giro interno mínimo: 5.000

- raio de giro entre guias: 10.500

626.jpg
625.jpg
197.jpg

Detalhe da estrutura da carroceria do trólebus, na fábrica da Cobrasma.

(Fonte: vídeo "O Tróleibus em São Paulo", de autoria de Jorge Francoso de Moraes).

(Fonte: folheto "Trólebus - O Transporte do Século XXI", publicado pela ANTP - Associação Nacional dos Transportes Públicos).

198.jpg
199.jpg

(Fonte:  “Manual  de  Manutenção  -  Trólebus  Simples  –  Veículo”,  publicado  pela  Cobrasma S/A,   para a   Companhia   do   Metropolitano   de   São  Paulo).

2 - Peso do veículo (N):

- peso do veículo em ordem de marcha (VOM): 125.000

- peso bruto nominal (VOM + capacidade nominal + motorista): 176.180 (*)

- peso bruto total (VOM + capacidade total + motorista): 187.060 (*)

(*) – Peso estimado para cálculo = 640 N por passageiro.

3 - Compartimento de passageiros:

627.jpg

Detalhe do salão de passageiros.

(Fonte:   vídeo   "O   Tróleibus   em   São  Paulo", de autoria de Jorge Francoso de Moraes).

200.jpg

(Fonte: “Manual   de   Manutenção  – Trólebus   Simples – Veículo”,  publicado  pela  Cobrasma  S/A,    para a Companhia do Metropolitano de São Paulo).

4 - Posto de comando do motorista:

imagem.jpeg

Detalhe do painel de comando do Trólebus Cobrasma / Powertronics.

(Acervo Companhia do Metropolitano de São Paulo).

painel cobrasma.jpeg

Posto de comando do Trólebus Cobrasma / Powertronics.

(Acervo Companhia do Metropolitano de São Paulo).

201.jpg

(Fonte:  “Manual  de  Manutenção  -  Trólebus  Simples  –  Veículo”,  publicado  pela  Cobrasma S/A,   para a   Companhia   do   Metropolitano   de   São  Paulo).

202.jpg

(Fonte:  “Manual  de  Manutenção  -  Trólebus  Simples  –  Veículo”,  publicado  pela  Cobrasma S/A,   para a   Companhia   do   Metropolitano   de   São  Paulo).

  1.     Indicador, cor vermelha, de falha de tração.

  2.     Indicador, cor vermelha, de falha do freio pneumático.

  3.     Indicador, cor vermelha, de baixa isolação.

  4.     Indicador, cor vermelha, de falha de ventilação (motor/chopper).

  5.     Indicador, cor vermelha, de falha do retificador.

  6.     Reserva.

  7.     Reserva.

  8.     Indicador, cor amarela, de parada solicitada.

  9.     Indicador, cor branca, de ré.

  10.     Indicador, cor vermelha, de freio de estacionamento aplicado.

  11.     Indicador, cor vermelha, de sobrevelocidade.

  12.     Reserva.

  13.     Indicador de luz alta.

  14.     Indicador, cor verde, de direção.

  15.     Interruptor tipo tecla, com iluminação de cor vermelha, para sinalização de emergência.

  16.     Interruptor de iluminação do posto de condução.

  17.     Interruptor tipo tecla, com iluminação e retorno automático, de rearme/sobrecarga.

  18.     Interruptor tipo tecla, para comando da iluminação interna do veículo.

  19.     Interruptor tipo tecla, com iluminação de cor vermelha, para isolar a campainha de solicitação de parada.

  20.     Interruptor tipo tecla, para comando da iluminação interna do veículo.

  21.     Reserva.

  22.     Interruptor tipo tecla, com iluminação de cor vermelha, com retorno automático, para acionamento do reforço de tração (sobretorque).

  23.     Instrumentos de comando de rádio-controle.

  24.     Interruptor dos limpadores do pára-brisa.

  25.     Interruptor do temporizador dos limpadores do pára-brisa.

  26.     Interruptor do esguichador.

  27.     Interruptor do desembaçador.

  28.     Interruptor tipo tecla, para acendimento das lanternas.

  29.     Interruptor dos faróis.

  30.     Interruptor tipo tecla, com iluminação de cor verde, para acionar o sistema de ventilação do salão.

  31.     Interruptor de rearme da solicitação de parada/teste das lâmpadas.

  32.     Botoeira verde, sem retenção, de abertura da porta dianteira.

  33.     Lâmpada amarela, de indicação de porta dianteira aberta.

  34.     Botoeira vermelha, sem retenção, de fechamento da porta dianteira.

  35.     Botoeira verde, sem retenção, de abertura das portas intermediária e traseira.

  36.     Lâmpada amarela, de indicação de portas intermediária e traseira abertas.

  37.     Botoeira vermelha, sem retenção, de fechamento das portas intermediária e traseira.

  38.     Botoeira verde, sem retenção, de abertura geral de portas.

  39.     Lâmpada amarela, de indicação de portas abertas.

  40.     Botoeira vermelha, sem retenção, de fechamento geral das portas.

  41.     Chave comutadora de energização geral.

  42.     Amperímetro de indicação da corrente de tração e frenagem.

  43.     Voltímetro de indicação da tensão da rede aérea.

  44.     Velocímetro com odômetro incorporado.

  45.     Manômetro duplo de indicação da pressão do circuito de freio de serviço (dianteiro e traseiro).

5 - Posto de cobrança:

- bloqueios eletrônicos: 2 conjuntos, cada um com uma catraca de três braços e leitora de bilhetes, junto à porta dianteira (de embarque).

ELETROCONTROLES: incluindo grupo motor gerador (GMG) e motor de tração (fabricados pela ENGESA S/A), além do sistema chopper e demais componentes eletrônicos (fabricados pela POWERTRONICS S/A).

1 - Desempenho:

- velocidade máxima: 60 km/h

- aceleração máxima: 1,3 m/s2

- rampa máxima: 12 %

2 - Alimentação elétrica:

- tensão da rede aérea

    - nominal: 600 Vcc

    - mínima: 400 Vcc

    - máxima: 720 Vcc

- circuitos auxiliares: 220 V, trifásico, 60 Hz

- circuito de corrente contínua (bateria): 24 Vc

3 - Motor de tração:

-  fabricação: ENGESA EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S/A

- tipo: UQTO 250/4

- potência nominal: 120 kW

- tensão nominal: 600 Vcc

- quantidade: 01

- localização: entre-eixos

4 - Sistema de controle de tração:

- tipo: chopper

- fabricação: POWERTRONICS S/A

Fonte de Pesquisa:

- “Revista dos Transportes Públicos” (ano 19, 1.996, 4° trimestre), publicado pela ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos: artigo “Trólebus – As Fases da Implantação do Sistema no Brasil”, de autoria de Jorge Françozo de Moraes.

- “Manual de Manutenção – Trólebus Simples – Veículo” (publicado pela Cobrasma S/A, para a Companhia do Metropolitano de São Paulo).

bottom of page